Sobre dores nas costas e seus mitos e verdades

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 85% da população mundial teve, tem ou terá pelo menos um episódio de dor nas costas durante a vida. A boa notícia é que dá para escapar dessa epidemia adotando alguns bons hábitos. Mais como saber o que é mito e verdade sobre as dores nas costas? Saiba mais!

O primeiro passo para proteger a sua saúde é ter acesso a informações corretas sobre causas, tratamento e estratégias de prevenção para as dores nas costas. Teste seus conhecimentos e tire suas dúvidas!

Toda dor nas costas é causada por uma doença
Mito. A dor intensa e que persiste pode estar relacionada a uma doença, um problema mais sério nos músculos, nos ligamentos, nas vértebras ou nos discos, entre outras estruturas. Porém, a maioria dos incômodos na região é causada por má postura ou pela simples falta de exercício.

“Mas se não houver uma mudança de hábitos, esses problemas podem evoluir para uma lesão e ocasionar um problema crônico”, alerta a fisioterapeuta Rita D’Haese, do Centro de Reabilitação da Via Varejo.

A dor pode ter relação com as emoções
Verdade. O estresse faz a gente contrair toda a musculatura, incluindo a que envolve a coluna. E a tensão crônica, prolongada, pode contribuir para o aparecimento da dor. Além disso, eventos traumáticos, como a perda de um ente querido, ou o fim de um relacionamento, podem repercutir na coluna.

“Muitas pessoas que nos procuram com dor nas costas passaram por uma situação desse tipo. Daí a nossa preocupação em oferecer um atendimento multidisciplinar, com o apoio de uma psicóloga”, explica o médico acupunturista Hiroaki Sasaoka, coordenador do Centro de Reabilitação da Via Varejo.

Quem fuma tem mais problemas nas costas
Verdade. Já está mais do que comprovado que o fumo promove lesão nos discos que ficam entre as vértebras e também nas articulações da coluna, predispondo a uma maior degeneração de suas estruturas.

Para tratar, a melhor coisa é um remedinho que tira a dor
Mito. Quando o chamado “mau jeito” é passageiro e não traz outros sintomas desagradáveis, o uso de um analgésico ou relaxante muscular é indicado. Só que fazer uso da automedicação por um tempo prolongado também pode levar a uma complicação do quadro. Portanto, ao perceber que a dor persiste, o ideal é ir ao médico, para que ele faça um diagnóstico correto e indique o melhor tratamento, que pode incluir sessões de acupuntura ou fisioterapia.

Quem tem dor nas costas não pode fazer exercícios físicos
Mito. Só nos casos mais graves os médicos indicam o repouso. Nos demais, os exercícios são essenciais para se garantir uma melhora definitiva. “A atividade física tem o efeito de um analgésico, aliviando a dor. Além disso, ela fortalece a musculatura que dá apoio à coluna, os ossos e lubrifica as articulações. Por último, os exercícios ainda aumentam a consciência corporal, o que ajuda a evitar novas lesões por esforços repetitivos ou má postura”, explica o fisioterapeuta e profissional de educação física Rogério Lameiras, da equipe de Reabilitação da Via Varejo.

Os quilinhos a mais são um fator de risco importante
Verdade. Além de causar sobrecarga na coluna, o sobrepeso aumenta o risco de alterações inflamatórias, que podem funcionar como o estopim para o surgimento de dores.

Um dos melhores exercícios para a coluna é o abdominal
Verdade. Os métodos posturais, o alongamento diário, o pilates e os esportes – como a caminhada e a natação – são excelentes para prevenir e tratar dores nas costas. No entanto, o exercício que fortalece o abdômen ainda é um dos mais eficientes para manter a coluna sempre protegida. “Quando fortalecemos os músculos da região da barriga automaticamente relaxamos as costas, tirando as tensões que causam a dor”, explica Fernanda Fernandes, profissional de educação física da equipe de Reabilitação da Via Varejo. Outro exercício que ajuda a fortalecer a musculatura é andar para trás, em locais que não oferecem risco. “Apesar de bastante simples, a atividade traz ótimos resultados. O ideal é praticar diariamente”, completa Sasaoka.

 

Mais dicas de postura
Para prevenir dores e evitar que elas evoluam:

Quando estiver sentado: apoie bem o corpo sobre os dois ossinhos que ficam na região do bumbum e deixe a coluna bem ereta. Evite cruzar as pernas, ou pior, sentar em cima delas.

Na hora de levantar da cadeira: use os braços como apoio e flexione os cotovelos para levantar o corpo, ao mesmo tempo em que estende os joelhos. Assim você distribui melhor o peso do corpo.

Se precisa ficar muito tempo em pé: divida sempre o peso entre as duas pernas. Evite ficar parada colocando a maior parte da sobrecarga em uma perna só. A cada 45 minutos na mesma posição, caminhe ou sente-se por alguns minutos.

Ao carregar mochilas e bolsas: prefira as mochilas com alças largas e acolchoadas, que prendem na cintura, para distribuir o máximo possível o peso. Com as bolsas, o principal cuidado é trocar várias vezes de ombro e não exagerar na quantidade de coisas que se coloca dentro. Em geral, ela não deve pesar mais do que 8 a 10% do peso total da pessoa que a leva pra cá e pra lá.

Ao usar saltos: prefira os que têm entre 2 e 4 cm de altura. Solados retos fazem tão mal à coluna quanto os saltos com mais de 4 cm.

Fontes: Daniel Camargo Pimentel, fisiatra intervencionista e coordenador do Spine Center Hcor. Alexandre Walter de Campos, neurocirurgião especialista em terapia da dor do Hospital São Camilo.

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *