Ultrassom portátil para atendimento à desportistas.

A terapia de ultrassom (US) é o uso de ondas sonoras acima da faixa de audição humana para tratar lesões como lesões musculares ou joelho do corredor. Dentre outras diversas aplicações, pensando em desportistas. Porque não inserir os portáteis nos academias e acessorias esportivas?

Usado principalmente por fisioterapeutas e tem sido um dos maiores resultados da medicina músculo-esquelética desde a década de 1950. Existem diversos tipos de ultrassom terapêutico, usando diferentes intensidades e freqüências de som.

Mas todos compartilham o princípio básico de “estimular” ou mesmo “provocar” o tecido com ondas sonoras acima do alcance da audição humana.

Em outras palavras, terapia por vibração!

Pensando em praticidade e funcionalidade a Chattanooga desenvolveu o modelo Intelect Mobile Ultrassound. Móvel e leve facilita o processo de atendimento sendo eficaz no dia a dia de muito movimento por ser leve e de fácil transporte.

Um equipamento completo que opera com frequências de 1 e 3Mhz. Operação de tratamento pulsada e contínua (10%, 20%, 50% e 100%) e saídas de ciclo de trabalho variável de 16 Hz, 48 Hz ou 100 Hz.

As indicações clínicas fornecem a aplicação e definição de parâmetros mais adequada para a condição do paciente.

Inserindo a reabilitação móvel para os treinos

A Fisioterapia desportiva, ou esportiva, tem um papel fundamental na prevenção das lesões, assim como na resolução dos problemas mais comuns que afetam esses atletas, contribuindo para a redução do tempo de tratamento e retorno mais rápido à prática esportiva.

Além de tornar poder oferecer aos praticantes outra perspectiva sobre prevenção e performance. Os profissionais podem contar com equipamentos de qualidade e fidedignos como é o caso da Chattanooga.

Cada modalidade esportiva exige uma atenção especial do fisioterapeuta, que deve saber qual é o tratamento adequado em cada caso. Os esportes que possuem impactação, como, por exemplo, vôlei, corrida, futebol e basquete, apresentam uma probabilidade de desencadear problemas nos ombros, quadril, joelho e tornozelo.

Esses problemas, quando não investigados e tratados, podem evoluir para lesões mais sérias como tendinopatias, bursites, artrites, dentre outras. A parte interessante disso é que o próprio corpo nos dá notícias desses possíveis erros durante a prática esportiva.

Bastando somente nos treinar para identificar  os seguintes sintomas: dores nas articulações, queimações musculares, estalos nos ombros, joelho e quadril, pisada torta, frequentes “viradas” de pé, dormência ou formigamento nos braços e pernas, queimação próxima à região da canela, dor nos calcanhares, entre inúmeros outros.

Para poder se destacar do mercado e ter um diferencial e vantagem competitiva você vai esperar o cliente chegar até você com o problema? Ou irá se antecipar e prevenir suas lesões in loco? Você decide.

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *