Lombalgia: o que é e como tratar?

De acordo com o IBGE, a dor lombar é a segunda maior queixa dos brasileiros – perdendo apenas para a hipertensão. Inicialmente, este incômodo pode não gerar muita preocupação; mas, se não for tratada e se tornar uma dor crônica, pode comprometer o cotidiano do paciente.

Estima-se que 80% da população mundial vai sofrer esse problema no futuro.

Causada por lesão em um músculo ou ligamento, a lombalgia pode surgir devido a uma série de fatores como:

  • má postura;
  • falta de exercícios físicos regulares;
  • fraturas;
  • envelhecimento entre outros fatores.

Os médicos definem a lombalgia em três tipos principais: aguda, subaguda e crônica.

A lombalgia aguda pode durar por vários dias ou semanas e surge após esforço físico excessivo ou traumas. Este tipo de lombalgia atinge boa parte da população mais jovem.

A dor lombar subaguda é a intermediária, e a sua duração é estimada entre 4 a 12 semanas.

Por fim, a lombalgia crônica  são os casos de dor lombar por mais de 12 semanas, mesmo que a lesão inicial tenha sido tratada. Para os portadores deste tipo, a dor pode ser moderada ou intensa e acontece com muita frequência. Geralmente, este tipo de lombalgia atinge as pessoas com idade mais avançada.

Tratamento

Apesar da lombalgia aguda melhorar com o tempo, vários procedimentos podem ser realizados para aliviar a dor: analgésicos, anti-inflamatórios, corticoides e relaxantes musculares.

A estimulação elétrica transcutânea (TENS) também é um dos tratamentos recomendados. Por meio de correntes elétricas aplicadas na região, a dor é aliviada; o problema em si não é curado, somente amenizado.

Lembre-se de que alguns cuidados são importantes antes de começar o tratamento: não colocar os eletrodos sobre a pele mais sensível, evitar feridas abertas na região, não usar sobre músculos da laringe e faringe e evitar áreas com edemas. A intensidade da corrente varia conforme o estágio da dor e a sensibilidade do paciente; consulte um médico para saber quanto aplicar.

Em casos mais sérios de lombalgia crônica, pode ser necessária a realização de cirurgia. Por este motivo, vale a velha orientação de sempre, se sentiu mal, procure ajuda médica.

Prevenção

A boa notícia é que dá para se prevenir e evitar este problema. Quem é mais novo precisa tomar cuidado com a postura, principalmente ao sentar. Fazer exercícios, pelo menos três vezes por semana, de forma correta e com os cuidados necessários também ajuda.

Outras pequenas dicas como agachar-se com as pernas e não com as costas e dormir em um colchão que não seja muito mole ou duro também ajudam a evitar a dor lombar. Por último, não se esqueça de cuidar da alimentação, do sono e do peso!

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *