Cross training: variedade e intensidade

Na correria do dia a dia, não é todo mundo que arranja disposição ou tempo para se dedicar à prática de exercícios físicos. Em alguns casos, mesmo quem se dispõe a encarar uma esteira se desanima por causa da monotonia da atividade. Como fugir desses lugares comuns e conseguir se exercitar?

Uma das soluções pensadas para isso foi o Cross Training, uma modalidade que reúne vários exercícios físicos em uma só atividade.

Por exemplo, se assim quiser a pessoa pode misturar corrida com natação. Ou ciclismo com levantamento de peso. Ou natação com ciclismo. A escolha é livre!

Por que fazer Cross Training?

O objetivo do Cross Training é trabalhar os diversos músculos do corpo não utilizados durante a atividade principal, que são exigidos de acordo com o exercício escolhido. Geralmente, a escolha é feita entre modalidades complementares; assim, você evita que os mesmos grupos musculares e articulações sejam exigidos repetidamente – prevenindo o desgaste e as lesões.

Essa bateria de exercícios dá mais variedade ao cross training e evita a monotonia de práticas repetitivas – o que colabora para aumentar o comprometimento com as atividades. Essa flexibilidade é boa tanto para quem quer aprimorar a capacidade do corpo para competições quanto para quem só quer emagrecer.

A vontade de perder peso, aliás, é um dos fatores que vêm popularizando o cross training nos últimos tempos. Por causa da variedade de exercícios, a intensidade é maior em comparação aos treinos básicos; mais músculos são trabalhados e, consequentemente, mais energia é queimada em menos tempo.

Benefícios do cross training

  • As atividades são rápidas e intensas, perfeitas para quem não tem muito tempo para cuidar da saúde;
  • Trabalha vários músculos diferentes, reduzindo o risco de lesões e desgastes;
  • Torna a grade de exercícios flexível;
  • A recuperação é mais rápida;
  • A variedade de atividades torna o processo mais dinâmico e menos entediante;
  • Desenvolve e mantêm as capacidades físicas;
  • É possível se exercitar mesmo com uma lesão;
  • Acessível para iniciantes em atividades físicas.

Apesar de ser mais acessível, pessoas com desvio postural, como escoliose, ou com limitações de amplitude de movimento devem evitar o cross training ou tomar precauções extras ao fazer atividades. Portadores de desvios, por exemplo, podem forçar demais uma porção lateral do corpo ao tentar levantar pesos – o que pode acabar em lesão. Por isso, é importante consultar um treinador antes de começar as atividades e visitar um médico caso haja dúvidas a respeito da própria saúde.

A beleza do cross training é permitir a personalização da rotina de exercícios ao oferecer um leque enorme de atividades. Se quiser aderir, é só escolher a que for melhor para você!

Ficou alguma dúvida? Deixe um comentário abaixo e fique ligado nas próximas postagens do blog!

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *